Estresse faz Demi Moore perder dois dentes

Durante um papo com o apresentador Jimmy Fallon, Demi Moore contou que perdeu os dois dentes da frente recentemente, mas o motivo da queda chamou atenção dos fãs e espectadores:

"Amaria dizer que perdi andando de skate ou fazendo algo legal. Mas foi o estresse que me fez perder os dentes da frente. Acho importante falar isso porque o estresse é a segunda maior causa de morte na América".
Com bom humor, a atriz ainda avisou Fallon que Tallulah Belle Willis e Scout LaRue Willis se divertam com o problema da mãe: "Minhas filhas amam me ver sem os dentes. Elas acham que fico mais vulnerável e humana".
Após perder o dente da frente a atriz fez sua primeira aparição pública no tapete vermelho do filme "Blind" com seu sorriso definitivo. “Agradeço a Deus pela odontologia moderna. Sem ela eu não estaria nesse tapete vermelho”, disse em entrevista.
Em entrevista a Jimmy Fallon no último dia 13, a norte-americana havia revelado que perdeu os dentes da frente por causa de estresse. Na ocasião, ela ainda contou que estava em busca de um profissional que fizesse o tratamento adequado para o seu caso.


Felizmente, Moore não teve vergonha de compartilhar o seu problema e, inclusive, postou fotos sem o dente. Na noite da última segunda-feira, ela sorriu bastante e provou que o passado banguela ficou para trás.
Fonte: www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/saude-bucal/atualidades

->ESTRESSE PODE CAUSAR PERDA DO DENTES<-
Pessoas que cuidam de familiares com câncer ou mal de Alzheimer, ou que são estressadas, podem ter doença periodontal com mais facilidade. É o que mostra uma pesquisa feita pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOP-Unicamp). Quando a pessoa está estressada, o organismo produz em excesso uma substância chamada cortisol, que é um hormônio com a capacidade de enfraquecer o sistema de defesa do ser humano. No caso de pessoas que cuidam de familiares com câncer ou Alzheimer, há mais facilidade delas desenvolverem doenças periodontais porque passam a produzir o cortisol em excesso. O motivo apontado na pesquisa é que essas pessoas dedicam mais atenção aos parentes doentes e esquecem de cuidar de si próprias.

A relação deste hormônio com o sistema de defesa já está cientificamente bem estabelecida. Sempre que uma pessoa produz o cortisol em excesso, ela fica fraca e adoece com mais facilidade. Por isso, geralmente ficamos resfriados quando passamos por períodos de estresse. Ao que tudo indica, a doença periodontal também pode ser causada pelo mesmo motivo.

A doença periodontal, ou periodontite como era conhecida antigamente, provoca a destruição dos tecidos que dão suporte aos dentes. Entre esses tecidos fica o osso onde a raiz do dente está implantada, que é chamado de osso alveolar, a gengiva que recobre e protege esse osso e umas fibras que são conhecidas como ligamentos periodontais. Elas fazem a ligação da raiz dentária com o osso. Quando a doença periodontal progride e conseqüentemente destrói esses tecidos de suporte, a tendência é que a pessoa perca o dente. Inclusive, com o passar da idade, as pessoas têm menos cárie e mais doença periodontal.

Geralmente, a doença periodontal é conseqüência do acúmulo de bactérias na superfície dos dentes. Como os dentes estão em íntimo contato com a gengiva, se essas bactérias não forem removidas, elas começam a provocar inflamações. Com o passar do tempo, o processo inflamatório destrói os tecidos periodontais. A principal conseqüência é a perda do dente. Entretanto, a doença periodontal não provoca apenas a perda de dentes. Ela também provoca outros problemas como mal-hálito e retração da gengiva e do osso. Assim, deixa a pessoa com sérios problemas estéticos. E, ao que tudo indica, quando a pessoa está estressada, todo esse processo é facilitado.

Outros fatores, como o fumo e a diabetes, também contribuem para o aparecimento da doença periodontal. Porém, pelo fato de ficarem com o sistema de defesa enfraquecido, quando estão estressados, os fumantes ou diabéticos têm mais facilidades para ter esses problemas.

Os autores desta pesquisa chegaram a esses dados depois de realizarem um levantamento e analisarem todos os trabalhos que foram publicados na literatura mundial sobre o tema desde 1990. Isso mostra que essa é uma condição universal e todas as pessoas no mundo podem desenvolver doença periodontal porque ficam estressadas. Ou seja, independentemente de qualquer outro fator ambiental ou característica cultural, o estresse pode fazer com que uma pessoa perca seus dentes.

Com o ritmo acelerado de vida levado atualmente, é difícil não passar por momentos de dificuldades emocionais. Porém, o melhor que se pode fazer para evitar essas doenças é ter uma boa higiene bucal e tentar conduzir da melhor maneira possível esses transtornos. Caminhadas e a prática de esportes pode ser um caminho assim como outras atividades que dão prazer. Dessa forma, o momento de estresse será curto e o corpo humano poderá reagir da melhor maneira possível.

Arlindo Aburad é dentista, doutor em Patologia Bucal pela USP e patologista bucal do Ceope - Centro Estadual de Odontologia Para Pacientes Especiais.
Fonte: www.gazetadigital.com.br

Galeria de Fotos

Agende agora a sua avaliação:

  • * Após recebermos a sua mensagem, entraremos em contato para confirmar a disponibilidade.

Outras Notícias